Será que é uma boa ideia abrir um negócio de Vinho?

Já se terá perguntado isto? Será que é uma boa ideia abrir um negócio de Vinho?

Quando pensamos em negócios de Vinho, talvez a primeira ideia que nos vem à cabeça seja uma bela quinta, uma varanda ao fim do dia, com vista para a Vinha e para um rio lindo e claro um Vinho magnífico produzido por nós, a ser degustado em excelente companhia.

A mim parece-me um plano perfeito, mas claro, já está a pensar, não tenho quinta, não tenho vinha, não tenho rio, mas vinhos magníficos vou degustando alguns, só não são produzidos por mim.

Mas há muitas outras maneiras de entrar no negócio do Vinho, não é preciso ser o feliz proprietário de uma quinta com grandes vistas.

Pode abrir um Wine Bar, com os seus Vinhos preferidos, conhecer os produtores, receber os amigos, conhecer gente nova e fantástica.

Ou o negócio de Vinho pode ser uma Loja de Vinho, Garrafeira ou Adega como lhe preferir chamar. O Charme e o Glamour do Vinho também lá estão, com um portfólio que é a sua cara, com fornecedores parceiros, uma loja linda e muitos clientes a comprar todos os dias os seus Vinhos.

Podia continuar a romantizar o negócio do Vinho, mas há alguns pontos mais práticos que transformam o negócio do Vinho num negócio interessante.

Então quais são eles?

O Mercado do Vinho existe há milhares de anos e continua a crescer, se temos tido momentos de diminuição do crescimento, a tendência é que continue a crescer  6 a 7% ao ano globalmente.

Diz-se que o Vinho está na moda, não sei se está na moda, sei que os consumidores estão cada vez mais bem informados, mais interessados e a beber melhor.

O negócio do Vinho é extremamente fragmentado e muito competitivo, o que cria muitas oportunidades para entrada de novas empresas, não só para a produção e comércio, como para outras áreas e serviços complementares.

Não deve haver muitos produtos com uma área tão grande nos supermercados, com tanto retalho especializado multi marcas, com tantos agentes económicos envolvidos no negócio e uma diversidade de oferta tão grande para o consumidor.

A barreira de entrada para o comércio e outras áreas complementares, é relativamente baixa, claro que como qualquer negócio tem custos, mas que podem ser muito variáveis conforme o negócio pretendido.

O Vinho é um negócio que pode ter diferentes margens, não sendo um negócio de margens enormes na maior parte dos casos, pela grande competitividade no mercado, à excepção da hotelaria que consegue ter no Vinho uma das maiores fontes de receita com margens mais altas.  Essa mesma competitividade abre espaço a descobertas e margens mais vantajosas para os negociantes de Vinho.

É um negócio onde vai conhecer gente fantástica e vai, claro, conhecer a parte glamourosa e histórica de trabalhar no negócio do Vinho.

É um ambiente normalmente divertido, animado, saudável e com muita dinâmica. Se abrir um espaço de retalho, vai certamente conhecer muita gente ligada ao Vinho e muitos clientes.

Dentro do negócio do Vinho há sempre muitas opções e profissões ligadas ao Vinho.

O Vinho abre portas para outros negócios e portas para o mundo, é um negócio de contacto, sociável, em que se conhece gente, se viaja, se visita, se conecta com os outros.

Por outro lado é um setor que precisa de inovação, de liderança, de processos, de soluções e isso abre a porta a gente de outras áreas, com outras expertises, para virem ajudar um setor que se está a modernizar e a crescer.

Resumindo, há muitas excelentes razões para vir para o negócio do Vinho, sendo a principal claro, o próprio Vinho e as pessoas, mas há muitas outras que o farão ficar e prosperar no negócio.

Fique atento, vamos continuar a falar sobre montar um negócio de Vinho.

Partilhar:

More Posts

Envie-nos uma mensagem